sábado, 6 de dezembro de 2014

Estudo mostra que os casais estão deixando a vida amorosa em segundo plano por causa da tecnologia

size_810_16_9_Vídeo_de_2010_mostrava_tecnologia_em_2014._Na_foto_homem_em_sua_cama_com_smartphone_celular_
Um estudo mostra que os casais estão deixando a vida amorosa em segundo plano por causa da tecnologia. Segundo pesquisadores da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, 70% das mulheres dizem sofrer interferências no relacionamento por causa do computador ou do smartphone. O estudo, publicado no periódico Psychology of Popular Media Culture e noticiado no jornal britânico Daily Mail, contou com 143 mulheres heterossexuais casadas ou em união estável. Para elas, o computador é a tecnologia que mais interfere no relacionamento; em seguida aparecem os celulares.
A maioria das entrevistas, ou 62%, relatou que o companheiro costuma pegar o smartphone ao menos uma vez ao dia durante o período de lazer do casal. E um quarto disse que o parceiro envia textos ou e-mails para outra pessoa enquanto os dois estão conversando cara a cara. Como era esperado, os conflitos em relação à interferência da tecnologia foram associados a relacionamentos mais pobres. Isso, por sua fez, foi ligado a um nível de satisfação com a vida mais baixo. A ideia não é ficar longe da tecnologia, mas estabelecer certos limites. Os pesquisadores sugerem, por exemplo, que o casal converse e tome decisões como permitir ou proibir o uso do tablet na cama ou do smartphone na mesa de jantar, o que é uma boa ideia. A autora do estudo, a psicóloga Sarah Coyne, diz que a tática dela é deixar o smartphone em cima da geladeira ou em outro lugar de difícil alcance, assim consegue se livrar da tentação de checar as mensagens o tempo todo.
/glaucialima.