sábado, 15 de novembro de 2014

Reajustes e planos terão impacto de R$ 335 milhões ao Executivo estadual

A implantação dos planos de cargos, carreiras e salários para os servidores do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e Fundação Estadual da Criança e do Adolescente (Fundac), somado ao reajuste de 13,1% para os professores e 17% para os policiais militares trará um impacto na folha de pessoal no valor de R$ 335 milhões. O cálculo foi feito pela equipe de transição do governador eleito Robinson Faria.
O valor equivale uma folha e meia de pessoal no mês. Hoje o gasto do Executivo com os funcionários ativos é de R$ 250 milhões. A equipe de transição e o futuro chefe do Executivo se detém a analisar sobre como arcará com esse acréscimo na folha, a partir da implantação dos planos e dos reajustes. Segundo um assessor próximo a Robinson Faria, entre os benefícios para essas seis categorias, a prioridade número um do governador eleito é o reajuste de 13,1% para os professores, já que é a lei do piso nacional do professor. No entanto, essa mesma fonte garante que há uma disposição para os demais planos serem implantados, a dúvida é saber como gerir os recursos a partir da situação dos cofres públicos do Executivo Estadual. O assunto voltará a discussão na equipe de transição na próxima terça-feira, quando o grupo estará reunido com o governador eleito. O encontro ocorrerá na Escola de Governo.
Tribuna do Norte