quinta-feira, 20 de novembro de 2014

HOMENS PODEM FAZER PRÉ-NATAL JUNTO COM SUAS MULHERES GRÁVIDAS NO SUS

Se você acha que apenas as gestantes fazem pré-natal, engana-se. Nas unidades básicas de saúde do SUS (Sistema Único de Saúde), os homens também têm o direito de cuidar de si ao mesmo tempo em que acompanham suas mulheres. Desenvolvido pelo Ministério da Saúde há dois anos, o Pré-Natal do Parceiro é uma estratégia adotada não só para preparar o homem para a paternidade como também detectar precocemente doenças crônicas, atualizar a carteira vacinal e incentivar a participação em atividades educativas nos serviços de saúde.       Entre os exames oferecidos, estão alguns que já fazem parte do pacote que a grávida realiza ainda no primeiro trimestre de gestação, entre eles, sorologia para hepatite B e C, HIV e sífilis. Além disso, estão disponíveis exames de sangue para detectar diabetes, verificar níveis de colesterol e medir a pressão arterial, explica Eduardo Schwarz Chakora, coordenador nacional de Saúde dos Homens.

Ao chegar à unidade de saúde, o homem é atendido por um profissional da equipe, não necessariamente o médico. Caso alguma doença seja detectada, a equipe avalia se é necessário encaminhamento para outro serviço ou trata na própria unidade básica. Geralmente, 85% a 90% dos casos são solucionados na atenção básica.”
O Pré-Natal do Parceiro também tem como foco reduzir a transmissão vertical [de mãe para o feto ainda no útero ou durante o parto] da sífilis e do HIV. A realização de testes rápidos para detecção dessas doenças e a consequente adesão ao tratamento por parte do parceiro infectado pode diminuir consideravelmente o risco de contágio da mãe e da criança, explica Chakora.
“Culturalmente, o homem é visto como forte, resistente, que não chora ou pede ajuda, mas queremos derrubar essa crença e mostrar que esse público tem acesso à saúde e merece ser cuidado.”
Além disso, o coordenador ressalta que a iniciativa visa incluir o público masculino no dia a dia da gestante, desde mostrando a importância da divisão das tarefas domésticas até o entendimento das mudanças físicas e psicológicas que acontecem com a mulher nesta fase.

“O apoio à parceira durante a gestação é fundamental para estreitar o vínculo familiar, além dos cuidados básicos com o recém-nascido, que devem ser compartilhados entre homem e mulher.”
O Pré-Natal do Parceiro está presente em apenas 50 dos 5.570 municípios brasileiros, incluindo São Paulo, Rio de Janeiro, São Luís, Salvador, Goiânia, Maceió e Teresina. Segundo Chakora, a ampliação do projeto depende da conscientização dos gestores locais.


“Estamos preparando um guia com orientações sobre a saúde masculina para difundir essa estratégia no SUS. Quanto mais cedo se descobre uma doença, mais chances de impedir seu avanço e até de cura.”
Segundo o coordenador nacional de Saúde dos Homens, infarto, AVC (acidente vascular cerebral) e câncer são as principais doenças que acometem o sexo masculino a partir dos 40 anos. Ele acrescenta que “os homens vivem 7,4 anos a menos que as mulheres e a cada três mortes de adultos, duas são de homens”.
FONTE: R7